Encurtamento ou encurtado, como você se encontra hoje? Se por algum instante ficou com dúvida em onde se colocar, é porque certamente esteja em um dos dois, ou nos dois.

Vamos entender melhor ao que se refere cada um e sua diferença, talvez aí seja mais fácil encontrar uma resposta mais precisa. Já adianto que é simples, mais do que imaginava!

De forma prática, digo a você que estamos falando da mesma coisa. O encurtamento podemos entender como um quadro que leva a segunda palavra (definição), encurtado. Em outras palavras, um indivíduo sofrendo do encurtamento de uma determinada musculatura fatalmente ficará com esta determinada musculatura encurtada. O mais comum de identificar é no posterior de coxa (músculo na parte de trás da perna. Nesta região é onde mais facilmente identificamos a necessidade de melhorar. Na figura acima, trago um teste que qualquer um pode desafiar-se a fazer em casa. Outro bem comum é aquele em que tentamos alcançar a ponta dos pés, clássico esse!

Em termos técnicos, temos algumas definições, tais como:

“É a perda da elasticidade do músculo que pode causar dificuldade nos movimentos e desvios posturais. Se você sofre com esse problema é importante entender porque ele acontece e como resolver, ou amenizar”.

Fonte: revistaviver.com.br/?p=27381

“O alongamento é uma manobra terapêutica utilizada para aumentar a mobilidade dos tecidos moles por promover aumento do comprimento das estruturas que tiveram encurtamento adaptativo(3), podendo ser definido também como técnica utilizada para aumentar a extensibilidade musculotendínea e do tecido conjuntivo periarticular, contribuindo para aumentar a flexibilidade articular, isto é, aumentar a amplitude de movimento (ADM)”.

Fonte: www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922010000300015

Este problema é e será cada mais comum em nossa sociedade devido aos atuais hábitos de vida. Passamos grande parte do dia sentado, seja no trabalho ou seja no sofá de nossa casa. E essas práticas só agravam ainda mais a questão do encurtamento. Sem contar os fatores genéticos, que podem acentuar ainda mais o tema.

Saia do sedentarismo, mude o seu estilo de vida, venha cuidar de seu corpo e de sua saúde. E para você que já está em alguma prática regular de atividade física, se mantenha e preste bem atenção em qual é a melhor prática para tratar do tema discutido até aqui.

Uma opção prática de resolver é com o Pilates.

Basicamente, o que muito se é necessário para amenizar, e cada vez mais, pouco mais, e mais…promover a elasticidade dessa musculatura, são práticas regulares (2x por semana já é bem interessante) de exercícios específicos, que venham contemplar a promoção dessa flexibilidade (ou elasticidade como acima mencionado), e não há nada tão eficiente como o Pilates. Com esta modalidade, além dos exercícios realizados em solo (popular alongamento por exemplo), temos ainda possibilidades como bola, acessórios (diversos), e os aparelhos Cadilac, Reformer, Barrel e Chair.

Portanto, não há dúvidas, Pilates e Goodbe são uma combinada e excelente escolha para tratar deste quadro extremamente desconfortável à saúde de qualquer um. Vem treinar conosco, não perca tempo, sinta-se melhor e bem mais disposto para os desafios diários.

Forte abraço,
Juan Croce

Deixe uma resposta