Hoje a abordagem será sobre os Membros Inferiores, com destaque para a popularmente conhecida, “Panturrilha”. É claro que ao pensarmos em nossas pernas, pode quase que imediatamente surgir flashs em nossas mentes remetendo aos glúteos e coxas. No entanto, no meu ponto de vista não podemos somente considerar a beleza de uma musculatura, e sim o quanto ela é funcional para as necessidades diárias. Independentemente do volume e tamanho, as pernas de modo geral são de fundamental importância para nossa locomoção e para os grandes esforços do dia a dia, um simples ato como o de andar, por exemplo.  E quando pensamos em exercitar as pernas, novamente a atenção é quase que total nos quadríceps, bíceps femoral e é claro, os glúteos. E a panturrilha nessa história toda, entra quando?

Vamos conhecer um pouco mais sobre tal musculatura. “O gastrocnêmio está localizado com o sóleo no compartimento posterior da perna. Sua função é flexionar o pé na articulação do tornozelo e flexionar a perna na articulação do joelho e primariamente envolvido em corridas, saltos e outros movimentos “rápidos” da perna e, em menor grau, andar e ficar em pé”.

Ao considerarmos a proporcionalidade entre o músculo gastrocnêmio da coxa (porções anterior e posterior), existe uma considerável diferença de volume, isso parece bem nítido. Porém, a capacidade de força que o gastrocnêmio possui é espantosa. Como mencionado acima, é o músculo PRIMARIAMENTE envolvido. Em outras palavras, toda a ação e responsabilidade da execução começa nele, uau!

Destaco principalmente as atividades citadas:
– Andar;
– Ficar em pé;
– Corridas;
– Saltos

Andar e ficar em pé dispensa qualquer comentário por se tratar de uma ação básica. Vou destacar corridas e os saltos. Com uma reflexão rápida, olhando por um prisma esportivo e considerando este no que é mais evidente e praticado em nosso país, facilmente encontramos as modalidades:
– Futebol;
– Voleibol;
– Corrida de rua;
– Corrida na esteira;
– Pular corda;
– Treinamento Funcional.

Você aí lembrou de outros mais que envolvem diretamente essa musculatura primariamente exigida?
Então meus caros, espero ter alcançado vocês acerca do tema, mostrando neste breve texto a importância que esta musculatura até certo ponto deixada de lado possui.

Muito obrigado!
Forte abraço,

Juan Croce

 

Deixe uma resposta