Porque fazer Pilates na Gravidez?

Que o Pilates vem crescendo e ganhando cada vez mais adeptos é evidente, mesmo você que ainda não foi experimentar uma aula, não é muito difícil encontrar um studio próximo de onde mora ou trabalha. Abordei em outro texto (conferir em nosso blog) a crescente participação do público masculino na pratica do pilates, mas que no passado era meio que um preconceito, se pensava na modalidade como direcionada para mulheres e idosos.

Observando esse cenário crescente de adesão em todos os gêneros e idade, o que podemos falar sobre Pilates para gestantes? Podem fazer? É recomendado? Por que fazer?

A gestação representa alguns desafios com o decorrer das semanas, bebê crescendo e por consequência a mãe também, seja com o peso, seja com a barriga. Neste período começam os desafios:

– Dores no corpo;
– Inchaços;
– Certa limitação de movimentos e para se deslocar;
– Falta de ar;
– Subir ou descer escadas

Diante de alguns cenários como estes acima. Como o Pilates pode fazer a diferença? Respondendo já a uma pergunta, cada vez mais, médicos vem recomendando a prática da modalidade durante a gestação, bem comum inclusive a partir da transição entre o segundo e terceiro mês. Todas podem e deveriam praticar, os benefícios são enormes, e não se limitam só para a mãe, o bebê também sente e recebe as vantagens!

Destaque dos benefícios do Pilates durante a gestação:

– Evita a comum e natural dor nas costas;
– Correção e melhora da postura;
– Alívio das dores e inchaços nas pernas;
– Fortalece as musculaturas das pernas, o que alivia a sobrecarga na coluna em decorrência do natural ganho de peso;
– Fortalecimento dos braços, não menos importante;
– Evita a incontinência urinária por conta do trabalho no períneo;
– Auxilia a contração abdominal, o que entre outras coisas facilitará o trabalho de parto;
– Estabilização das articulações, prevenindo possíveis lesões;
– Trabalho da respiração que vai auxiliar no relaxamento do corpo entre uma contração e outra.

Vejam só a quantidade de benefícios, e o tamanho da importância em se praticar esta modalidade, sensacional!!!

Com relação ao bebê, também podemos destacar alguns pontos super positivos:

– Ele recebe endorfina (hormônio do relaxamento), através da placenta, o que vai contribuir para o bem estar dele;
– Tem um crescimento adequado dentro do útero, já que a gestante tem maior controle sobre o ganho de peso;
– Sente a tranquilidade da mãe, que deve estar mais disposta e com a autoestima elevada.

Bem, então fica aí o reforço para aquelas que já vivenciaram o Pilates durante este período, mas principalmente a descoberta e esclarecimentos para aquelas que não haviam ainda lido nada a respeito, não sabiam ou desconfiavam, tinham uma ou outra dúvida.

 

Forte abraço,

Juan Croce 

Deixe uma resposta