Treino em jejum é para todos?

Este mito gera boas discussões há bastante tempo, mas afinal, existe mesmo vantagem em realizar treino cárdio em jejum? Vai potencializar o emagrecimento? Ou na verdade vai causar danos a saúde? Queda na performance?

O que é mais comum e até frequente de se ver são efeitos negativos com essa prática. No meu entender é bastante óbvio inclusive isso, “ora”, como eu vou conseguir entregar um treino satisfatório e dentro de um limiar de frequência cardíaca exigida para alcançar o objetivo (emagrecimento aqui tratado) realizando uma alimentação (pré-treino)“a quem” ou sequer ter ingerido “alguma coisa”, o que seria pior ainda. Entrei no mercado fitness em 2005 e de lá pra cá 100% das inúmeras vezes em que eu pude presenciar algum aluno da academia passar mal foi justamente por não ter comido nada ou “quase nada” antes do treino. E essas situações ocorreram por inúmeras vezes não somente na sessão destinada aos exercícios de cárdio (aeróbio) como esteira por exemplo, mas em muitas vezes também na musculação.

Já presenciei em um único dia um aluno passar mal por duas vezes. Primeiro na esteira, quase desmaiou. Parou treino, foi se alimentou (lanchonete da academia), e já em seguida foi a musculação, passou mal outra vez! Perguntei quando havia acontecido a última alimentação e me respondeu que “almoçou tarde no dia anterior, por volta das 16h e não havia jantado”. Cedo, na ocasião eram 7 ou 8 da manhã, lá estava ele para treinar. Pergunto, qual a chance de dar errado de fato?

Então pessoal, é justamente o oposto, cuidar com o devido carinho e a devida atenção de sua alimentação é de suma importância, antes e depois do treino. Se me permitem um paralelo, de que adianta um carro espetacular se o combustível estiver adulterado? Pode até ser que o carro “ande”, bem abaixo do que poderia, mesmo assim funcione, porém os riscos não valem a pena, e nem a performance fraca que certamente receberá deste veículo. Ou seja, de igual modo é nosso organismo (guardada as devidas proporções), se a alimentação for ruim, resultados e performances ruins. Se nem acontecer alimentação então, piorou!

“Resumindo, treinar em jejum não só não melhoraria os resultados, como poderia colocar seu corpo em estado metabólico desfavorável, deixando seu metabolismo mais lento por até 24 horas. Além disso, há o risco de o praticante do treino aeróbico em jejum apresentar tonteiras e até desmaiar durante a atividade, colocando-se em risco”.

Paulo Gentil, 2018 – fonte: globoesporte.globo.com/eu-atleta