Conheça os 8 passos do yoga, segundo um de seus grandes mestres: Patanjali

Afinal, quando surgiu o yoga? A prática milenar teve origem na Índia, há mais de 5.000 anos.  A princípio, era restrita a determinados grupos e praticada em lugares especiais, chamados de Ashram. Suas técnicas eram transmitidas de geração em geração, entre mestre e discípulos.

Milhares de anos se passaram até que chegasse ao Ocidente, mas quando ultrapassou os muros dos espaços sagrados e as fronteiras da Ásia, conquistou rapidamente adeptos em todo o mundo. Famosos, atletas e pessoas comuns buscaram e ainda buscam no yoga um estilo de vida mais saudável e equilibrado.

O que é o yoga?

A palavra yoga vem do sânscrito e significa “união” e “bem-estar em todos os níveis”: físico, mental e emocional. Possibilita, entre outras coisas, que as pessoas se reconectem com sua verdadeira essência.

Logo, mais do que uma atividade que integra corpo e mente, o yoga é considerado uma filosofia de vida. Reconhece que sem saúde física e mental não é possível alcançar estados mais profundos de concentração. Ou seja, de conexão com o momento presente.

Como isso acontece?

A união entre posturas físicas, técnicas de respiração e relaxamento, ajuda no domínio das emoções e dos pensamentos. O controle emocional, por sua vez, é um ótimo domador da mente, evitando que ela transite entre o passado e o futuro – responsáveis, muitas vezes, por desencadear quadros de ansiedade além do ideal, angústia e melancolia.

Conectado com o presente, o praticante pode se reconhecer sem julgamentos e ampliar sua consciência sobre si e o mundo. Além da tranquilidade metal, da capacidade de alcançar estamos mais profundos de relaxamento, o exercício recorrente do yoga também fortalece o corpo físico e desenvolve a flexibilidade.

Os yoga sutras de Patanjali

Patanjali foi um dos grandes mestres do yoga. Seus ensinamentos estão reunidos nos chamados “yoga sutras”, considerados os primeiros textos oficiais sobre o yoga.

Nele, entre outras coisas, é dito que o yoga é “a inibição das modificações da mente”, ou seja, quando o praticante (iogini) tem controle sobre seu estado mental, ele está conectado com a sua essência, com seu verdadeiro eu. Isso, segundo o autor, é equivalente à saúde perfeita.

Para atingir o estado de controle, Patanjali criou oito passos, que devem ser praticados por todo ioguini.  É o que de fato compõem aquilo que chamamos de yoga. São eles:

Yama: valores éticos, sociais e universais;

Niyama: práticas pessoais que cultivam um estado de purificação e entrega;

Asana: posturas físicas, que trazem benefício para a mente, o corpo e a energia diária;

Pranayama: técnicas de respiração que elevam a energia vital, acalmam e relaxam;

Pratyahara: controle dos sentidos, que amplia a consciência do praticante sobre seu mundo interior;

Dharana: estado de concentração mental;

Dhyana: estado de meditação;

Samadhi: estado mais profundo de meditação.

Não é por acaso que quando uma pessoa começa a praticar, ela percebe que há um mundo de descobertas por trás das posturas e das técnicas de respiração. O yoga, como é possível ver, vai muito além dos movimentos corporais. É um modo de viver com mais harmonia e tranquilidade. Abre espaços um mundo de maior consciência.

Que tal começar a praticar hoje para você se conhecer melhor?

Saiba mais em: www.goodbe.com.br